Dias e Horários de Mestre Tokuda no Brasil em 2014

→ Informações básicas sobre a participação no Ango: Não é necessário se inscrever para a estadia do Mestre Tokuda, basta chegar trazendo sua tenda, saco de dormir, roupa de cama, lanterna, etc. O custo é de 50 reais por dia (inclui hospedagem e as 4 refeições). O pagamento deve ser feito na chegada do evento. VEJA MAIS ABAIXO.

O que trazer e como chegar: É o final da estação seca no serrado, faz um pouco de frio de noite, trazer cobertor e casaco, e durante o dia muito sol, então protetor solar, boné ou chapéu, protetor contra mosquito também é aconselhável. E muita disposição, para acompanhar o Mestre Tokuda de 75 anos de idade. Trazer também roupa de banho para tomar banho de cachoeira. O praticante tem que chegar até a cidade de Pirenópolis, a partir de Goiânia ou de Brasília (pegando um ônibus na rodoviária, examinar os horários dos ônibus), e chegando em Pirenópolis, pegar um táxi que custa cerca de 100 reais, dizendo que quer ir para a Cachoeira dos Dragões, no mosteiro Budista.

 


 

 

Pode ser uma das últimas vindas do Mestre Tokuda ao Brasil, não que ninguém queira isto, é a natureza que comanda a todos, então aqueles que são bons compreendedores devem aproveitar isto.

 

Mestre Tokuda expressou a vontade de que esta sua estadia é somente para ter contato com aquelas pessoas que querem sentar com ele, portanto recusando qualquer convite para palestras, conferências, será somente a vivência de um monge zen, dias comuns com quatro seções de meditação são tão importantes quanto aqueles dias do sesshin do dia 21 a 27 de agosto, segundo o próprio Monge Tokuda, com quem quer praticar com ele, e Mestre Tokuda disse que não veio para aparecer como Mestre, senão um simples monge zen, sentando e praticando zazen com amigos, praticantes e quem tem interesse no zen. Mestre Tokuda também expressou a vontade que seria cobrado somente o suficiente para cobrir os gastos com alimentação, então será cobrado somente 50 reais por dia para cada praticante para hospedagem no mosteiro de Eisho-ji, bem como para as três refeições vegetarianas, mais lanche à tarde. No último dia da estadia do Mestre Tokuda, este, o Mestre Tokuda, está planejando fazer um grande banquete. Neste pequeno ango, aqui é mais uma vez uma observação do Monge Tokuda, dias comuns com quatro seções de meditação são tão importantes quanto aqueles dias do sesshin do dia 21 a 27 de agosto. Não há diferença entre o sesshin e dias comuns com quatro seções diárias de meditação, é o efeito cumulativo dos dias comuns que são importantes, assim como o sesshin. Mestre Tokuda planeja plantar árvores e legumes no Eisho-ji. Ele considera a pobreza de Eisho-ji fundamental para a prática do zazen. Também disse que a prática do zazen é muitíssimo importante.

Há somente nove quartos para hospedagem no mosteiro de Eisho-ji, portanto as pessoas terão que trazer tendas, senão sobrar quarto. Será pelo sistema quem chegar primeiro consegue, pois será impossível regular todos que entram e saem. Claro que pessoas idosas, ou pessoas com necessidades especiais sempre terão prioridade para um quarto e o conseguirão. Contatos serão o Nonindo de Goiânia, com a monja Terezinha em Goiânia (062-39410202 e nonindospazen@gmail.com) e a monja Patrícia em Brasília (061-84376620 e patparedes@ig.com.br). Também é possível escrever através do contato deste site.

 

AGENDA DO MINI-ANGO

 

O PEQUENO GRANDE ANGO (período de meditação intensiva, pequeno porque um ango normal dura três meses, grande porque não importa a duração) QUE MESTRE TOKUDA PROMOVERÁ NO EISHO-JI, DO DIA 12 DE AGOSTO DE 2014 AO DIA 20 DE AGOSTO DE 2014

 

Dia a dia do Mestre Tokuda em sua estadia do dia 11 de agosto de 2014 a 25 de setembro de 2014

 

Chegada dia 11 de agosto às 19:10 horas. Dormir em um hotel de Brasília.
Dia 12 de agosto: Saída para Pirenópolis às 10 horas da manhã. Chegada em Pirenópolis às 15 horas. Descanso.
Dia 13 de agosto: 19:30, zazen, 20:10 kinhin, 20:20 zazen, 21:00 kaitin (meditação deitada).
Dia 14 de agosto: Shikunichi (dia reservado a coisas particulares)
Dia 15 de agosto: Acordar às 4 horas, 4:30 zazen, 5:10 kinhin (meditação andando), 5:20 zazen; 6:00 – 6:50 choka (cerimônia matinal), 7:30 limpeza, 8:00 desjejum, 8:30 trabalhos ou passeios pelo terreno para melhor conhecer o Eisho-ji, almoço ao meio dia, descanso, trabalho ou passeio, jantar às 18 horas, às 19:30 zazen, 20:10 kinhin, 20:20, zazen (com dokusan, entrevista com Mestre Tokuda ou não dependendo do dia), 21:00 kaitin (meditação deitada).
Dia 16 de agosto: Acordar às 4 horas, 4:30 zazen, 5:10 kinhin (meditação andando), 5:20 zazen; 6:00 – 6:50 choka (cerimônia matinal), 7:30 limpeza, 8:00 desjejum, 8:30 trabalhos ou passeios pelo terreno para melhor conhecer o Eisho-ji, almoço ao meio dia, descanso, trabalho ou passeio, jantar às 18 horas, às 19:30 zazen, 20:10 kinhin, 20:20, zazen (com dokusan, entrevista com Mestre Tokuda ou não dependendo do dia), 21:00 kaitin (meditação deitada).
Dia 17 de agosto: Acordar às 4 horas, 4:30 zazen, 5:10 kinhin (meditação andando), 5:20 zazen; 6:00 – 6:50 choka (cerimônia matinal), 7:30 limpeza, 8:00 desjejum, 8:30 trabalhos ou passeios pelo terreno para melhor conhecer o Eisho-ji, almoço ao meio dia, descanso, trabalho ou passeio, jantar às 18 horas, às 19:30 zazen, 20:10 kinhin, 20:20, zazen (com dokusan, entrevista com Mestre Tokuda ou não dependendo do dia), 21:00 kaitin (meditação deitada).
Dia 18 de agosto: Acordar às 4 horas, 4:30 zazen, 5:10 kinhin (meditação andando), 5:20 zazen; 6:00 – 6:50 choka (cerimônia matinal), 7:30 limpeza, 8:00 desjejum, 8:30 trabalhos ou passeios pelo terreno para melhor conhecer o Eisho-ji, almoço ao meio dia, descanso, trabalho ou passeio, jantar às 18 horas, às 19:30 zazen, 20:10 kinhin, 20:20, zazen (com dokusan, entrevista com Mestre Tokuda ou não dependendo do dia), 21:00 kaitin (meditação deitada).
Dia 19 de agosto: Shikunichi, dia livre para tarefas pessoais, num destes dias festa à noite, com fogueira, violão e canções, bastante loucuras.
Dia 20 de agosto: Hossan (dia cheio do Dharma (descanso), preparação para o sesshin de 21 a 28), às 20:20, primeiro zazen do sesshin.

 

De 21 a 27 de agosto, sesshin com o seguinte horário:

03:00 – Shinrei, senmen (Acordar e lavar o rosto)
03:30 – Zazen
04:10 – Kinhin
04:20 – Zazen
05:00 – Chôka
05:50 – Niten Sôji (Limpeza do local)
06:30 – Gyohatsu (Desjejum)
07:30 – Samu (Trabalho)
10:00 – Zazen
10:40 – Kinhin
10:50 – Zazen
11:30 – Saiza (Almoço)
14:30 – Zazen
15:10 – Teishô (Palestra)
16:10 – Chá
16:30 – Samu
17:20 – Zazen
18:00 – Yakuseki (Jantar)
19:30 – Zazen
20:10 – Kinhin
20:20 – Zazen
21:00 – Kaitin (Meditação deitada)

Fim do sesshin: dia 27 de agosto às 21:00.

Dia 28: Hossan (Dia cheio do Dharma, descanso)
Dia 29: Shikunichi (Dia reservado para tarefas pessoais)

Dia 30 de agosto: Acordar às 4 horas, 4:30 zazen, 5:10 kinhin (meditação andando), 5:20 zazen; 6:00 – 6:50 choka (cerimônia matinal), 7:30 limpeza, 8:00 desjejum, 8:30 trabalhos ou passeios pelo terreno para melhor conhecer o Eisho-ji, almoço ao meio dia, descanso, trabalho ou passeio, jantar às 18 horas, às 19:30 zazen, 20:10 kinhin, 20:20, zazen (com dokusan, entrevista com Mestre Tokuda ou não dependendo do dia), 21:00 kaitin (meditação deitada).

 

Do dia 31 de agosto até dia 20 de setembro (dia em que Mestre Tokuda embarca para o Rio de Janeiro por motivos pessoais, e em seguida para a França no dia 24 de setembro), a programação seguirá este mesmo horário acima, com os dias terminados em 4 e 9 sendo shikunichi, dias reservados para tarefas pessoais dos praticantes.

Mestre Tokuda poderá dar um curso de shojin ryori, a famosa culinária vegetariana do mosteiro zen, se houver interesse, no Eisho-ji, sem cobrar nada. Pois há muitos materiais e livros para tal que ele trará.

Também virá um grande mestre de culinária Shojin-ryori, Toshio TANAHASHI, junto com o Mestre Tokuda, cujo site é: http://zecoow.com, que dará um curso completo e profissionalizante deste tipo de culinária na Universidade da Paz, estas informações também serão postadas oportunamente.

Quem quiser colaborar com a compra da passagem do Mestre Tokuda, doações e anuidades da Sociedade Soto Zen do Brasil para a conta: Banco do Brasil, conta corrente 10.245-8, agência 4357-5. CPF da titular, Elvira Salvatierra: 868887148-53. O valor é 01 salário mínimo, cujo valor atual está em 678 reais (seiscentos e setenta e oito reais) até o fim do ano de 2013, passando em seguida para 724 reais(setecentos e vinte e quatro reais) em 2014. As pessoas que depositem devem se identificar enviando o comprovante via e-mail para a tesouraria da Sociedade Soto Zen do Brasil, a excelente Elvira Salvatierra, elviracas@gmail.com para a devida prestação de contas. Para contribuições de leigos e praticantes, valor mínimo de R$200,00, depositados na mesma conta acima.

Lembramos também que a data da estadia do Mestre Tokuda será na época da seca no centro oeste, então não choverá, mas fará um pouco de frio à noite.

*  *   *  *  *

 

NÃO É PRECISO RESERVAR VAGA

 

Atenção: Não é preciso reservar vaga para as práticas durante o ango com o Mestre Tokuda, somente a pessoa paga por sua estadia na entrada, lembrando que é cobrado somente o valor da alimentação, cinquenta reais por dia (que compreende três refeições vegetarianas por dia, mais o lanche da tarde), monta sua tenda ou vai para o seu quarto, se acomoda e em seguida medita.

Trazer além da tenda, saco de dormir, lanternas, pilhas, velas, saco de dormir, objetos de uso pessoal, travesseiro, roupas folgadas e cômodas para a prática de meditação e muita disposição.

*  *   *  *  *

 

Como é que a pessoa deve meditar? Da seguinte forma:

JU-UNDO-SHIKI

REGRAS PARA A MEDITAÇÃO NO EISHO-JI

“Estas são as regras para o salão de meditação desde o tempo imemorial, e se aplicam ao Eisho-ji, bem como no tempo de Dogen Zenji.

As pessoas que têm a vontade da verdade e que se desfizeram da fama e do lucro podem entrar. Não devemos ao acaso admitir aqueles que possam ser insinceros. Se alguém for admitido por engano, devemos, após avaliação, fazer com que se retirem. Lembrem-se, quando a vontade da verdade secretamente despertou, a fama e o lucro evaporam imediatamente. Geralmente, em todo o tão grande mundo, existem muito poucos exemplos da transmissão correta e tradicional. No nosso país, isso será considerado como a fonte original. Sentindo compaixão pelas gerações futuras, devemos valorizar o presente.

Os membros do Salão devem estar harmonizados como o leite e a água, e devem de todo o coração promover a prática uns dos outros da verdade. Agora no presente ainda somos como hóspedes e anfitriões, mas no futuro seremos para sempre patriarcas Budistas. Então agora que cada um de nós está se encontrando com aquilo que é difícil de se encontrar, e está praticando aquilo que é difícil de se praticar, não devemos perder nossa sinceridade. Essa (sinceridade) é chamada o corpo e a mente dos patriarcas Budistas; inevitavelmente se torna buda e se torna patriarca. Já deixamos nossas famílias e deixamos nossos lares; confiando-nos às águas. A benevolência dos (membros) dessa Sangha, ao promover a saúde (uns dos outros) e ao promover a prática (uns dos outros), supera mesmo aquela de pais e mães. Um pai e uma mãe são parentes pela curta duração entre a vida e a morte, mas (os membros) dessa Sangha serão amigos na verdade do Buda para sempre.

Não devemos gostar de ficar saindo daqui. Se absolutamente necessário, uma vez por mês é admissível. As pessoas de antigamente viviam nas montanhas distantes ou praticavam em florestas remotas. Essas não apenas tinham poucas habitações humanas, mas também totalmente descartavam as miríades de envolvimentos. Devemos aprender seus estados mentais ocultando suas luzes e cobrindo suas pistas. Agora é justamente o momento (de se praticar como) se estivéssemos apagando um fogo nas nossas cabeças. Como não poderíamos lamentar dedicar esse tempo a envolvimentos mundanos? Como não nos arrependeríamos de tal? É difícil se basear naquilo que não tem constância, e nunca sabemos onde, em que relvas ao lado da estrada, nossa vida como uma gota de orvalho virá ao seu termo. (Desperdiçar este tempo) seria deveras lamentável.

Enquanto estivermos no Salão não deveríamos sequer ler mesmo os textos Zen. No Salão devemos realizar os princípios e seguir o estado da verdade. Quando estivermos diante de uma janela brilhante, poderemos iluminar a mente com o ensinamento dos antigos. Não desperdicem nem um momento de tempo. Esforcem-se de todo o coração.

Devemos fazer uma regra geral de informar o líder do Salão aonde vamos, quer seja de dia ou de noite. Não perambulem por aí ao bel-prazer. Isso poderá infringir a disciplina da Sangha. Nunca sabemos quando essa vida terminará. Se a vida terminasse durante uma excursão vã, isso certamente seria uma coisa a lamentar mais tarde.

Não devemos bater em outros por seus erros. Não devemos considerar os erros de outrem com ódio. Nas palavras de uma antigo, “Quando não vemos os erros de outros ou nossos próprios acertos, naturalmente somos respeitados por seniores e admirados por juniores.” Ao mesmo tempo, não devemos imitar os erros dos outros. Devemos praticar nossa própria virtude. O Buda impedia os outros de fazer coisas erradas, mas não por ódio.

Qualquer tarefa, seja grande ou pequena, devemos levá-la a cabo após informar o líder do Salão. As pessoas que fazem as coisas sem informar ao líder do Salão devem ser expulsas do Salão. Quando as formalidades entre membros e líderes são impedidas, é difícil separar o certo do errado.

Dentro e ao redor do Salão, não devemos levantar nossa voz ou fazer ajuntamentos para conversar. O líder do Salão deve impedir isso.

No Salão não devemos praticar o caminhar cerimonial.

No Salão não devemos contar o rosário. E não devemos ir e vir com as mãos dependuradas do lado.

No Salão não devemos nem cantar nem ler sutras. Se um doador requerer a leitura de sutras por toda a ordem, então é permissível.

No Salão não devemos assoprar o nariz alto, ou escarrar e cuspir alto. Devemos lamentar o fato que nosso comportamento moral é ainda (tão) imperfeito. E devemos ressentir o fato que o tempo está fugindo embora, nos roubando da vida com a qual praticar a verdade. Pode vir a ser natural para nós considerar o tempo como se fosse um peixinho respirando numa pequena poça que vai evaporando.

Membros do Salão não devem usar brocado. Devemos usar (roupas de) papel, algodão e assim por diante. Desde os tempos antigos, todos aqueles que esclareceram a verdade foram assim.

Não entre no Salão bêbado. Se alguém se esquecer isso e (entrar) por erro, devem fazer prostrações e confessar. Também o álcool não deve ser trazido ao (Salão). Não entrem no Salão vermelhos e inebriados.

Se duas pessoas brigarem, ambos devem ser mandados de volta para seus aposentos, porque não somente eles prejudicam suas próprias práticas da verdade, mas também atrapalham os demais. Aqueles que virem uma briga começar mas não o impedirem também estarão igualmente em falta.

Quem quer que seja indiferente às instruções para a (vida) no Salão deve ser expulso pelo consentimento comum de todos os membros. Quem quer que sinta simpatia com a transgressão também estará em falta.

Não perturbem outros membros convidando pessoas, quer sejam monges ou leigos, ao Salão. Quando falando com hóspedes na vizinhança (do Salão), não levantem as vozes. Não se gabem deliberadamente de suas práticas, cobiçosamente tentando angariar doações. (Um hóspede) que há muito tempo tenha tido vontade de participar na prática, e que está determinado a fazer uma volta no Salão e fazer prostrações pode entrar. Nesse caso também, o líder do Salão deve ser informado.

O zazen deve ser praticado como no Salão de Monges (na China). Nunca seja nem um pouco preguiçoso ao atender e requisitar (ensinamento formal e informal), de manhã e à noite.

Durante a refeição do meio dia e no desjejum, aquele que deixar cair seus utensílios ou tigelas no chão deve ser penalizado de acordo com as regras do mosteiro.

Em geral, devemos firmemente guardar as proibições e preceitos dos patriarcas Budistas. O critério puro dos mosteiros deve estar gravado em nossos ossos, e deve estar gravado em nossas mentes.

Devemos rezar para que toda nossa vida seja pacífica, e que nossa busca da verdade permaneça no estado sem intenção.

Essas poucas regras (listadas) acima são o corpo e mente dos budas eternos. Devemos reverenciá-las e segui-las.”

//////////

2 Comentários

  1. Graça Macias

    Olá ! Boa Noite .
    Gostaria de saber se a vinda de Mestre Tokuda san está confirmada no próximo mês de agosto. Fui sua discípula em Teresópolis na década de 80 e gostaria muito de poder revê-lo. Há alguns anos soube que ele atualmente mora na França, como sei de sua idade e como vocês mesmo disseram que pode ser uma das últimas vindas dele ao. Brasil, ficaria muito feliz em reencontra-lo. Moro em Joinville SC e assim, caso ele venha mesmo ao nosso pais, irei com certeza até Goiás ou até o Rio de Janeiro para estar nem que sejam poucas horas com ele.
    Por favor respondam me este mail, Há mais de 30 anos não nos vemos, tenzo, kampoo , acupuntura e o Zen foram seus legados para mim, o tempo passou mas sei que ambos ficaremos muito felizes com este reencontro.
    Aguardarei sua resposta e desde já fico lhes imensamente agradecida .
    Até breve ,
    Graça Macias ( Gracinha )

Dúvidas? Comentários? Escreva abaixo

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *